sexta-feira, 26 de agosto de 2016

A WORTEN, seus Empregados e clientes e a Forte cultura matemática vigente em Portugal.






Na semana passada deparei-me com um problema para resolver. Nada de grave, o “tijolo” que utilizava para comunicações móveis explodiu a bateria.

Enquanto conduzia ouvi um “TAAAK” e um movimento no bolso, peguei no telemóvel reparando que a tampa traseira se tinha separado do resto.

Assim que cheguei ao destino, um olhar mais atento revela que a bateria tinha explodido, pois estava com o dobro da altura, impedindo o telemóvel de fechar.

Os problemas nunca acontecem nos dias bons, mas este teve o inconveniente de se avariar 2 horas antes de algo importante.

Esperava um telefonema que me permitiria ganhar algum dinheiro e sem telemóvel isso não iria acontecer.

Sai de URGÊNCIA a caminho da WORTEN.

Na WORTEN o pessoal estava em dia de formação, nada melhor que formar enquanto se trabalha, o Formador vai informando o Formando dos procedimentos habituais para cada tipo de negócio.

No país das tangas e das manigâncias a ultima moda da WORTEN são os seguros e as prestações.

Antes de adquirir o telemóvel passei os olhos pelos diversos modelos e respectivas condições de pagamento.

Podemos pagar a prestações? Olha, que engraçado… pagar em 3 vezes não tem juros, mas em 6 ou 12 vezes os juros são de 17.50%!

Mas alguém cai nisto? Pensava eu enquanto esperava na bicha para ser atendido…(Sim eu digo bicha, sempre o fiz e julgo que é para manter independentemente de existir uns quantos ofendidos).

 adiante!

As idades variavam entre os 18 anos e os 23 no máximo, idade atribuída a formadora que me atendeu, sendo por ventura a mais velha do grupo.

Antes de mim uma senhora que aparentava mais de 5 décadas bem vividas e um profundo conhecimento de cozinhados bem temperados e com molhos diversos a preceito.

Também vinha comprar 1 telemóvel! E até já sabia o que queria, quero aquele ali, dizia ela apontando para 1 dos muitos telemóveis daquela bancada.

A empregada / formadora prontamente se abeirou do telemóvel em questão, acompanhada pela formanda.

Faltava fazer a continha e ai o espanto foi total.

Em quantas prestações vai pagar? Temos 3; 6 ou 12, qual a modalidade que mais lhe convém?
Talvez de 12? Responde a cliente.

Rapidamente passamos para o seguro, estás a ver aqueles seguros, que não servem para nada, e que custam um balúrdio?

Aqueles que quando existe algum problema com o equipamento e o seguro é acionado existe sempre uma clausula que por má utilização ou descuido a seguradora recusa pagar qualquer verba? É esse mesmo que estamos a falar!

E custa 10%! DEZ POR CENTO? Está tudo doido?

Antes que a cliente possa responder as contas já estão feitas! Ocultando que o seguro custa +10% e ocultando que o pagamento em 12 prestações custa mais 17.50%, sai o valor mensal.
Se a Senhora aceitar fica a 72.6€/mês. Fica baratinho.

E o negócio avança, com a formanda a assimilar todo o processo.

Vai pagar em juros e seguros 197€, tendo gasto 674€ num telemóvel que nitidamente não lhe fazia falta. São as modernices e o pessoal fica bem é com aqueles grandes e fininhos. 

Exatamente o que fazer com ele fica para depois, está na moda.

Chegada a minha vez, informei que queria adquirir igualmente 1 telemóvel, com a advertência que queria o mais barato possível.

A formadora, franzindo o lábio superior informou-me que mais baratos só aqueles de teclas, está a ver quais são…

Fiz o meu melhor sorriso e informei a personagem que esses são “MUITA BONS!”.

Quando me perguntou se queria fazer seguro, nem lhe respondi, limitei-me a sorrir, era tudo o que ainda conseguia dar.

Sabe, somos obrigadas a perguntar, informou a formadora perante o meu silencio.

Estou a ver que sim! Faz parte das normas.

Quando ia efetuar o pagamento com multibanco, voltei a pasmar!

Na WORTEN por predefinição a opção dos cartões é o crédito! Para pagamento multibanco, temos de carregar no botão com a setinha para baixo, movendo a opção seleccionada para multibanco.

Não aquentei mais! Isto está lindo! Então por predefinição a opção dos cartões é o crédito?

Mas isto é assim? Prestações a 18% de juros, seguros que carregam com mais 10% e o cliente nem percebe nada e no fim, para sobremesa sai a credito por que é assim????

E cada vez será pior, informa a formadora com ar convicto.

Resta-me desejar-lhe uma boa tarde, informando que cada um escolhe o caminho que percorre, tenho pena que neste país a maioria escolha de olhos fechados.

Mas sobre isso nada posso fazer, resta aguardar que rebente! Com esta gente e esta maneira de pensar e decidir, não deve demorar muito!

Vai uma aposta? Eu arrisco 1 de maio de 2019! E tu?


Nota: Para os mais atentos falta responder a umas coisinhas.
1.      O meu telemóvel custou 30€, claro que não fiz seguro e paguei a pronto por MB.
2.      O telefonema recebido pagou de longe o tm adquirido.



Um grande bem-haja,


Jony(-h)

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Campeões da treta!




No meio de tanto heroísmo e orgulho à pátria devo ser dos poucos a destoar.

Quero começar por pedir desculpa aos amantes de futebol.

O futebol nasceu para ser um espectáculo, movem-se multidões em função disso, é paixão que dói, no corpo, na alma.

Eu gosto de futebol e para falar de futebol da selecção existe sempre o antes e o depois.

A GERAÇÃO DE OURO!

Jogadores talentosos, Portugal sempre teve, mas jogar contra os GRANDES da Europa ou do Mundo era sempre um suplicio.

Aguentar, aguentar, aguentar!

Não éramos respeitados por ninguém, raramente participávamos nos Campeonatos Europeus ou Mundiais, jogando um futebol sem brilho, sem história.

Depois de sermos Expulsos do Mundial de 1998 em França porque o Rui Costa demorou 20 segundos a sair de campo para ser substituído em jogo de qualificação contra a Alemanha foi a gota de água.

Adeptos das contas de calculadora, restava ir ganhar à Alemanha, fomos, lutamos e empatamos, porque o Rui Costa demorou 20 segundos até ser substituído, foi expulso, Portugal jogos com 10 até final e a Alemanha empatou o jogo.

Foi uma vergonha, mas foi um querer como nunca se tinha visto, jogando olhos nos olhos, olhando o adversário de frente, sem medos! Foi memorável.

Em 2000 caímos perante a França de Zidane na meia final, mas pelo caminho ganhamos aos Alemães 3-0 com Sérgio Conceição em grande e despachamos Inglaterra com 3-2, depois de entrar praticamente a perder por 2-0, um jogo memorável, dos que assisti, provavelmente o melhor de sempre!

Jogamos futebol!

Em 2002 ficamos pela fase de grupos num mundial sem história lusa, para entrar em força no Euro 2004, a nossa tragédia Grega.

Ganhamos a Espanha, Holanda, novamente Inglaterra, para cair na final! A força de um futebol tampão prevaleceu.

No Mundial de 2006 Novamente a França na meia final, impediu Portugal de chegar mais longe.

Partilhando uma dor que conheço bem, seria a altura ideal para pedir desculpa aos Franceses, seria, mas não é!

Não é porque foram PORCOS! Na ânsia de ganhar sem olhar a meios, a falta sobre Ronaldo, não é só maliciosa, é mordaz.

Incapacitar Ronaldo é pensar pequenino.

Le petite France…

Perderam sem espinhas, num campeonato onde o Campeão fez 7 jogos e não mereceu ganhar nenhum. Sé la vie…

Os jogos de futebol de Portugal deram sono! O único que se aproveitou em espectáculo foi contra a Hungria, foi sofrimento de morte, para acabar apático a olhar para 22 jogadores parados esperando apenas o apito final.

Sono, sono, sono! Quando olhei para Luís Figo a bocejar na final do Europeu reparei que não estava só.

Calculo que para ele seja ainda mais difícil assistir aos jogos deste Portugal.

Com um saco cheio de médios e um ponta de lança tosco, cometemos a proeza de em 10 jogadores de campo, jogar com 5 fora das suas posições naturais. Notável! Digno da melhor “Engenharia”!

Sonolência é, o que é.

A que eu mais gostei, foi os lançamentos de linha lateral. Por essa é que eles não esperavam.
Lançamento para Portugal, tuga pega na bola e passa a outro tuga que se prepara para lançar, quando subitamente aparece um companheiro e recebe a bola que a passa a outro, que, entretanto, chegou. Impressionante!

Tudo isto queimando tempo, sem efectivamente repor a bola em jogo.

Os Franceses até ficaram com os olhos em bico, o mais exaltado, esbracejava, apontando para um, e outro, e outro jogador de Portugal, esbracejava, apontava e gritava HEI!! HEI!! Quase que dava para dançar.

É triste quando exportamos o pior que existe no nosso campeonato.

Acaba por ser bem feito, para os Franceses não serem Porcos, aquela falta não se faz! Muito menos na FINAL!

Depois ficamos chocados quando somos recordados de maneira pouco simpática continuando sem entender, como é que o nosso campeonato nacional, GLORIOSO que é, não interessa a ninguém!

Somos Campeões, campeões da Treta, com um futebol sonolento que não cativa ninguém. Parabéns PORTUGAL! É isso que queremos ouvir? Depois de 7 jogos deprimentes?

Então Parabéns!

Agora somos todos comendadores.

Que diria Luís Figo; Rui Costa; João Pinto; Paulo Sousa; Jorge Costa; Fernando Couto entre outros, deste futebol.


Eu, não gostei, era só isto.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Os empatas e a ambição de ser Campeão Europeu.



Tenho de começar este poste afirmando que não entendo nada de futebol, digo isto simplesmente, porque é verdade.

5 jogos jogados 5 empates conquistados, nos 90 minutos Portugal ainda não foi superior a ninguém. Somos uns empatas...

Não consigo ver um jogo em que não sinta o coração apertadinho, apertadinho, apertadinho.
Não sei se é da minha televisão, se é de nada entender de futebol, a verdade é que sinto necessidade de pedir desculpa à Polónia e especialmente à Croácia.

Depois de uma fase de grupos deprimente, passamos frente à Croácia, sem saber ler ou escrever.

Uma sorte descomunal e um excelente aproveitamento do único remate à baliza nos 120 minutos de jogo.

Na realidade em 120 minutos fizemos 2 remates perigosos, o de Ronaldo que foi defendido pelo guarda redes e o de Quaresma que aproveitando o ressalto cabeceou para golo.

Visto pela minha televisão, destes 5 jogos era o único que merecíamos ter perdido, mas verdade seja dita, ainda não merecemos ganhar nenhum.

Não perdemos, a vitória surgiu ao minuto 117.

Faltam 2 jogos e ainda não foi possível ver um jogo conseguido por Portugal, só oiço que o que conta é o resultado, mas a verdade é que em 5 jogos eu sinto vergonha deste futebol.

Os primeiros 30 minutos do Portugal Polónia foram um descalabro, o meio campo não funcionava, nem a defender, nem a atacar. Não fosse o ENORME Pepe e uma boa defesa de São Patrício poderíamos estar a perder por 3-0 ainda antes do minuto 20.

Não vou voltar à historia do saco cheio de médios e apenas um ponta de lança, tosco por sinal. Esta equipa, com esta estrutura grita por Rafa.

Se jogar em 4 x 3 x 3 utilizando o único ponta de lança que levamos é impensável para Fernando Santos, o 4 x 4 x 2 necessita de Rafa e não de Renato Sanches.

O Renato é um excelente jogador, será fundamental em futuros Europeus e Mundiais, mas neste não.

Eu sei…eu sei… foi novamente eleito o homem do jogo e até marcou o golo do empate.

Deve ser novamente da televisão onde vejo europeu, mas na minha o melhor jogador em campo foi o Pepe, novamente.

Sem o Pepe teríamos certamente perdido os últimos 2 jogos, o homem parece um bombeiro, acorrendo a fogos onde eles aparecem, Pepe está em todo o lado, é o verdadeiro tapa buracos.
Existe muita coisa mal explicada desde a aposta desmedida em André Gomes que na pratica deixa Portugal a jogar com 10 ou a súbita titularidade de Renato Sanches, impulsionada por um país que veste de vermelho e o dinheiro do seu novo Clube.

Só assim se compreende que a UEFA tenha apontado Renato Sanches como o melhor homem do jogo pela 2ª vez.

O nosso amigo Fernando Santos deve ter prazer em fazer sofrer os Portugueses.

Foram necessários 4 jogos para por o meio campo de Portugal a funcionar e ao 5º jogo adornamos com o Renato, calando as criticas.

Rafa? Nem pensar! Já calçou 1 minuto, já chega, é do Sporting de Braga e não tem um super-empresário…


Meu Deus, lá está nada entendo de futebol.

Faltam 2 jogos, eu mantenho o pedido, não quero ser Campeão em França como a Grécia foi em Portugal. Sem mérito, sem honra, sem futebol.

Ganhar uma taça sem jogar futebol não é para mim, é para muitos, eu sei, mas não é para mim.

Ganhar um campeonato, jogando encolhido, perante tudo o que não é pequeno causa constrangimento.

Fernando é demérito demais!!!

Não é difícil sentir orgulho no futebol praticado por Portugal, temos jogadores para isso, só falta o resto.

Mas o resto é pedir demais, jogar com ponta de lança? Claro, quando estivermos a perder por 2-0, caso contrário faz companhia aos colegas, é essa a sua função.

Só peço um bom jogo de futebol, só um, ganhar uma vez com mérito, pode ser?


Campeão Europeu a jogar assim? Não obrigado.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Cada um tem o futebol que merece.





Caro Fernando,

Escrevo-te esta carta, não na vã esperança que a leias e procedas em conformidade, não!
Escrevo-te esta carta para desabafar, só isso.

Sabes Fernando, eu sou daqueles que sofro muito pela nossa selecção, sofro muito mais por Portugal do que pelo meu clube de coração.

Sou, digamos que, nos tempos que correm, uma espécie em vias de extinção, mas é assim.
Sofro de morte por Portugal.

Cada jogo que vejo é uma angustia, não ganhamos a ninguém, não merecemos ganhar a ninguém.

Quatro jogos, quatro empates nos 90 minutos é uma vergonha.

O único jogo que ganhamos, foi no prolongamento, com muita sorte à mistura, fosse o futebol um desporto justo e teria passado a Croácia.

Temos de começar pelo inicio e Fernando desculpa lá, levar um saco cheio de médios e apenas 1 ponta de lança, não lembrava ao Diabo…

Era só tirar 1 e integrar o puto do Futebol Clube do Porto!

O Nuno Gomes era um miúdo (Euro 2000), mas servido por Figo; Rui Costa e Cª até parecia um homem.

Eu que de futebol nada entendo, trocava uma mão cheia de Nunos Gomes, por apenas 1 André Silva.

Manteríamos o plano A, jogando em 4 x 4x 2 com Ronaldo +1 na frente, mas quando o jogo corre mal, e tem acontecido dia sim, dia sim, teríamos a chance de Jogar em 4 x 3 x 3 com 1 ponta de lança a prender os 2 centrais o que libertava Ronaldo na esquerda para o “1 x 1”, que ele tanto gosta, com Quaresma na Direita.

Era tão simples, mas não foi.

Eu posso encher o peito e gritar que pretendo ser CAMPEÃO, mas depois tenho de o provar em campo.

Campeões da Tanga, já chega o campeonato nacional.

Jogar bem, ou pelo menos melhor que os outros, criar mais oportunidades de golo. No fundo ter um futebol de qualidade, apreciado em qualquer ponto do mundo.

O que eu quero é ganhar! Mas não a qualquer preço.

Depois ouço declarações que me deixam muito triste:

·        Ainda bem que ficamos em 3º do grupo, porque com grande sorte evitamos todos os grandes favoritos.

·        Se me garantirem que eu sou campeão só com empates e jogando mal eu assino já por baixo.
Enfim, pensamos pequenino, como sempre.


Sabes Fernando, eu não quero ganhar em França como a Grécia ganhou em Portugal.
Prefiro perder já com a Polónia a suportar tamanha vergonha.

Portugal ser Campeão sem mérito seria para mim uma desgraça.

Ouvir de qualquer adepto de futebol, na Europa, na Ásia, nas Américas ou noutro continente qualquer, “Arggghhh que nojo de Futebol” seria a desonra total.

Foram necessários muitos anos e uma geração de OURO para que Portugal fosse respeitado em todo o mundo pelo seu Futebol!

Uma geração de OURO! Podíamos jogar contra Inglaterra, a Holanda, Espanha ou Alemanha, era jogar olhos nos olhos, sem medos, vamos a eles, era a palavra de ordem! E íamos!

No ultimo mundial em França, não fomos apurados (1998)!

O Rui Costa demorou 20 segundos a sair de campo e foi expulso no jogo contra a Alemanha (Fase de qualificação), nessa altura ainda não éramos respeitados por ninguém.


Passaram menos de 20 anos, mas com este Futebol de MERDA, corremos o risco de perder o respeito mundial que tanto trabalho deu a conquistar.

São eles que tremem quando vem jogar contra Portugal.

Fernando, chaga de experiências, chega de apostas falhadas, OK?

A fase de grupos foi um suplicio, pior seria impossível, a defesa que esteve razoável nos 2 primeiros jogos, contra a Hungria, foi o que se viu, meio campo a funcionar aos soluços, sem conexões, sem ritmo, sem automatismos e falhando no primeiro momento defensivo.

No ataque, uma desgraça pegada, em mais de 50 cruzamentos, apenas 6 encontraram um Português.

Sem presença na área é tudo muito mais difícil.

 - André Gomes e João Moutinho no 11 inicial? Tem pena de mim, que eu sofro do coração!
Fernando, os Audazes jogam em 4 x 3 x 3, os cobardes em  4 x 2 x 3 x 1 e os restantes em 4 x 4 x 2 ou sistemas híbridos.

Vamos ser audazes uma vez que seja? Não é necessário inventar muito.

Sendo teimoso, como sempre iremos mandar Ronaldo para ponta de lança, não é?

Olha amigo, a defesa é parar com as trocas, mesmo coxos o Cedric e o Raphael Guerreiro é para manter, no centro o Pepe é fundamental acompanhado por R. Carvalho, já está recuperado e sabe jogar com os pés.

Meio campo é óbvio e depois do jogo com a Croácia julgo que acabaram as duvidas, ou vamos outra vez falar do João Moutinho em clara baixa de forma?

Muito bem, meio campo com William, João Mário e Adrien.

No ataque Éder a ponta de lança (a culpa não é minha, só veio este) Ronaldo na esquerda, onde rende mais, completando com Quaresma ou Nani na direita.

Continuas em 4 x 4 x 2? Ok, tira o Éder e coloca o Rafa!

Alem de ser óptimo a transportar a bola, não treme ao entrar na área com a bola controlada, mais experiente, é uma mais valia.

Atacar, controlar e convencer!

Faltam 3 jogos, são 3 oportunidades para brilhar.

Fernando, eu até convoco todos os santos, por favor, enche o mundo de bom futebol e não me faças sofrer mais, já chega!

Viva Portugal!

Um abraço,


Jony

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Casar, só por amor...



Acabadinha de ouvir...

Ela – Querido, casas-te comigo por Amor ou por interesse?


Ele – Deve ter sido por amor, porque interesse em ti não tenho nenhum!

quarta-feira, 15 de junho de 2016

Imparidades na CGD, mais uma conta para pagar.


Era só a que faltava confirmar.

Na ressaca da crise imobiliária Americana desapareceu o BPN e o BPP.

O BPN caiu com a crise, mas cairia sem ela, demorava mais um pouco, mas o destino estava traçado.

Imparidades, a causa, irregularidades e fraudes a cada esquina.

No final de 2010 a crise não abrandava e a situação dos bancos e do país era um desastre.
Uns e outros passaram anos a torrar dinheiro, sem garantias e sem retorno, mais imparidades.
Para Portugal ficou reservada a modica quantia de 78 mil milhões de €uros (São 78 mais 9 zeros, coisa pouca…).

Deste valor, 12 mil milhões seria para recapitalizar a banca, com um juro simpático de 7%, proporcionado pelos nossos amigos que vieram “ajudar”.

A este preço os bancos que restavam em Portugal foram contidos nas suas necessidades, 7% é duro, mas as imparidades eram tantas e as garantias nenhumas que todos la foram buscar parte das necessidades.

Foi a CGD;
Foi o BCP;
Foi o BPI e foi o BANIF.

Em conjunto aceitaram perto de 7 mil milhões.

Entretanto, sabemos que existem muito lixo ainda escondido no balanço dos bancos, de todos os Bancos.

O BCP anda pelas ruas da amargura, jurando a pés juntos que não necessita de aumentar o capital.

O BANIF já faliu, mais imparidades, e agora temos a Caixa.

São mais 4 mil milhões, 2.5 para tapar imparidades e o restante serve para melhorar rácios e emprestar à economia.

O que deveria ser público para TODOS consultarem era essas imparidades.

·        Quais foram?

·        A quem foram atribuídos os empréstimos?

·        Com que garantias?

·        Quem aprovou?

·        Quem foram as sociedades/ particulares que beneficiaram com todas estas manigâncias que agora nos obrigam a pagar?

A CGD foi, é, e será a passagem para reformas douradas dos principais partidos em Portugal.

Tem servido ao PS;

Tem servido ao PSD;

E claro o CDS também já mama, para compor o ramalhete falta acrescentar alguns membros do PCP e do BE, já agora, ou existe moralidade, ou mamam todos! É justo…


Quando os Ingleses chamaram António Horta Osório, não lhe perguntaram se ele era do PS ou do PSD.

Tinham um problema para resolver no banco X, acharam que o António teria o perfil ideal e convidaram-no. Foi só isso.

Em Portugal desde 1975 que a presidência da CGD, maior banco em Portugal é distribuída em alternância por PS e PSD.

São regalias adquiridas onde a meritocracia não é chamada a opinar.

Para a presidência e administração do maior banco em Portugal não conta o mérito, conta a cor partidária.

É 1 presidente e 19 administradores! É uma vergonha desde 1976, é, o que é!

Agora temos as imparidades da Caixa para pagar, e as administrações que as aprovaram andam por ai, com reformas de sonho, gozando a vida, neste belo país à beira mar plantado!

Só olhamos para a clubite, aldrabamos os números enquanto podemos, para no final pagar invariavelmente a conta.


E mudar de vida? Não?

16 de Junho de 2016

Para complemento temos 1 artigo do Publico e outro do Correio da Manhã, sempre ficamos a conhecer algumas das muitas imparidades que teremos de pagar

terça-feira, 14 de junho de 2016

Portugal - Campeão Europeu de Futebol 2016!

Jogando em casa, sem ponta de lança, cada um dos mais de 10 milhões de treinadores, terá a sua equipa tipo.

Para que a profecia seja cumprida e Portugal se sagre pala 1ª vez na história Campeão Europeu, será fundamental não desperdiçar 1 jogador em ponta de lança, será como jogar com 10!

Não podemos jogar com 12 e necessitamos de alguém com força para prender 2 defesas centrais!

A solução responde pelo nome de Bruno Alves! Nem mais nem ontem! Com a cabeça ou com os pés, o bruno já provou que tem categoria.

Com uma cabeça que funciona como um martelo, tudo o que ali bate é repelido! Se for a bola ganha velocidade, se for qualquer outra coisa ganha mossa.

Basta incutir no rapaz que importunando os defesas é a prioridade e quando a bola vier alta acertar com a cabeça olhando para a baliza.

É muito importante convencer o rapaz a acertar primeiramente na bola! O que vier de seguida é molho, com a cabeça ou com os pés é para chutar com força, se depois de acertar no esférico encontramos uma cabeça ou qualquer outro membro do adversário o impacto é inevitável e não poderemos culpar o avançado.

Será a melhor solução! O bruno não é um jogador violento, basta olhar para os números, jogou meia dúzia de anos em Portugal e só foi expulso 1 vez!

Não há que enganar, é pacifico, desarma-os sempre sem espinhas.

Só foi expulso porque o Nuno Gomes se lembrou de marcar 2 golos, numa altura em que o FCP ainda dominava a "Troika do apito" (C. Arbitragem; C. Disciplina; Nomeações/Classificações dos Árbitros).

Nuno Marcou Golos ao FCP?!?!? Merece mesmo uma cabeçada! Foi só dessa vez em mais de 6 campeonatos…

O que vimos contra Inglaterra foi apenas um golpe publicitário de génio, patrocinado por Licor Beirão, o licor de Portugal!

Se me oferecessem 1 milhão para dar um pontapé na cabeça de um Inglês eu faria igual!

Na Selecção reside a última esperança, onde um pequeno país, olhando olhos nos olhos qualquer potencia do futebol, pergunta:

 - Vemos jogar à bola? E jogamos! Sem medos, sem perdas de tempo, sem complexos de inferioridade.

Preferencialmente, já que estou inspirado quero sem teatros, também! A regra é que um Português só cai em campo quando é IMPOSSÍVEL manter-se em pé, por falta grosseira do adversário.

Incutir em todos, árbitros incluídos, que Portugal não cai!

Só isso e seremos Campeões Europeus!

Jogar em 4 x 3 x 3, com o Bruno a ponta de lança.

Aqui fica a Equipa.

G. Redes - Rui Patrício.

Defesas – R. Carvalho; Pepe; Cédric e R. Guerreiro.

Médios – Danilo; J. Moutinho e João Mário.

Avançados – Ronaldo e Quaresma nas laterais, alternando hebdomadariamente e Bruno Alves no centro, tanque de assalto focado na baliza adversária.




Até os comemos! Rumo à final, marchar, MARCHAR!

quarta-feira, 25 de maio de 2016

O bem comum e as 35 horas de trabalho no País das Maravilhas.



Portugal é um país bipolar, não é a 1ª vez que o sinto, não será certamente a última.

As 35 horas de trabalho semanal para funcionários públicos está na ordem do dia.

São os chamados direitos adquiridos, que foram suprimidos pelo anterior governo, que agora estão em causa.

Quando em 2011 o estado assumiu que estava sem dinheiro, pedimos ajuda internacional.
Desde 2011 perdemos perto de 400.000 postos de trabalho e ganhamos 200.000 novos emigrantes.

Será mais importante para Portugal devolver os cortes a 600.000 funcionários públicos e reduzir para 35 horas o seu horário de trabalho ou recuperar os empregos perdidos?

Em 2011 foi o estado que faliu, era o estado que não tinha dinheiro para pagar os seus compromissos.

Se no final de 2015 ainda com todos os cortes aplicados a funcionários públicos Portugal recebeu menos 6.000 milhões do que teve de pagar, alguém acredita que é com reposições salariais e um menor horário de trabalho que resolvemos os problemas do país?

Acreditar nisto só está ao alcance dos F. Públicos!

Não sei, não quero saber, estou-me nas tintas! É assim que a maioria responde, o importante é o meu umbigo! Os meus direitos adquiridos!

·        Não são avaliados, ou quando são, são todos Bons; Muito Bons ou Excelentes.

·        Antes do congelamento de carreiras, as promoções de escalão eram de 3 em 3 anos.

·        Aumentos acima da inflação independentemente da produtividade ou meritocracia.

·        Emprego garantido até à reforma.

·        Greves com fartura.

Resumindo, somos todos iguais, 600.000 Lords e perto de 4 milhões de Bastardos que trabalham por conta de outrem, mas esses, não tem direito a nada.

Engraçado, cada um, cabisbaixo, defende o seu quintal, sonhando baixinho:
 - Isto para mim vai resultar, para os restantes…
 - Não sei, não quero saber, estou-me a cagar!

Olhando para a constituição e para o seu artigo XIII fico perplexo, somos todos iguais!

No meio de tanta igualdade é permitido a 3 centenas de estivadores porem em risco milhares de empresas exportadoras e respectivos postos de trabalho.

É igualmente constitucional 2.500 trabalhadores dos transportes públicos em Lisboa, condicionarem a vida a perto de 2.5 milhões de pessoas, que circulam diariamente na capital.
Perto de 500 maquinistas são suficientes para paralisar a ferrovia do país.

Tudo isto é constitucionalmente garantido, incluindo ir à bancarrota por 3 vezes! 

Caminhamos felizes, sabendo que não enganamos ninguém, mas será necessário mais que isso para pararmos de tentar.

·        Mandamos postais de RSF para os desempregados, esperando que metade já nem responda, para melhorar os números do desemprego.
·        Tornamos as avaliações de final de ciclo tão fáceis para o 9º ano, que bons alunos do 6º, teriam certamente positiva.
·        Temos 1 milhão de mortos inscritos nos cadernos eleitorais porque dá jeito na distribuição de verbas às autarquias.
·        Temos Campeões de futebol com 25 vitórias nas ultimas 26 jornadas do campeonato, penalti contra no dia 1 de Abril e jogando em inferioridade numérica só na penúltima jornada.
·        Temos a CGD que reconheceu 8.5 milhões de euros em imparidades sem se saber como nem porquê, só sabemos que necessita de mais milhões e que todos os seus gestores foram optimos! Todos com reformas milionárias, de acordo com os estatutos e certamente com a constituição da republica.


Carlos Pacheco, estou contigo, Portugal o País das Maravilhas!

terça-feira, 24 de maio de 2016

Guerra





Com algum espanto, confesso, parece que temos poeta na família...

Mais uma, para a TAG "IMPORTADO", com muito gosto.

A minha professora de português pediu-nos para fazer um poema sobre um tema á escolha...Não é nada de especial, mas aqui vai...

Há tanta gente na guerra                                                        
E isso até me enterra                                                              
Morrem milhares até milhões                                                
Por um bocado de feijões                                                      

Não devo ser o único
A pensar assim
Devem haver outros
Iguais a mim

Ficam todos felizes                                                                   
Até saltam de alegria                                                               
Por conseguir mais umas terras                                               
A troco de milhares de vidas  
O orçamento para a defesa   
É enorme, gigantesco                                                               
Há pessoas na pobreza
E quanto a isso nada se faz

Eu hei de morrer
E meus netos também
Sem ninguém contestar                   
Esta guerras suicidas


Sem sequer alguém tentar

Pôr-lhes um fim...


Autor: TXS