sexta-feira, 14 de abril de 2017

ONU; cowboys e Jornalismo.



Era uma vez a ONU, organização criada para que os países deste planeta, pudessem ter como alternativa conversar em vez de andarem a brincar ás guerras, década sim, década não.

A coisa nunca funcionou muito bem, até porque, uma mão cheia de países tem o direito de veto, que utiliza a seu belo prazer.

A guerra na Síria só existe porque juntamente com o Iraque podem ligar por gasodutos o Golfo Pérsico ao Mediterrâneo.

Para azar dos Sírios e Iraquianos os seus territórios são importantes para o controle da região.
E aí movem-se muitos interesses.

A Europa, para variar, sempre foi empurrando com a barriga até ser invadida por emigrantes, que perante as perspectivas de vida existentes, se lançam ás centenas em pequenos barcos, mediterrâneo adentro, rumo à terra prometida.

Nos noticiários, foram semanas a fio, ALLEPO!! Sempre ALLEPO! Fiquei com a sensação que os Russos, são demasiado estúpidos para criarem bombas eficazes.

Depois dos bombardeamentos as noticias eram sempre as mesmas, ou acertavam em escolas, ou as bombas caiam em zonas residenciais, matando inocentes as mãos cheias, mas salvando sempre uma criancinha quando aparecia a televisão.

Comparando a ofensiva de Raqqa à de Allepo, facilmente chegamos à conclusão que as bombas americanas são muito mais inteligentes que as Russas, pois raramente matam inocentes.

E quando essa raridade acontece, nunca são criancinhas! São combatentes aliados que estavam no sitio errado.

As bombas Americanas têm GPS, o pessoal que combate no terreno, não…

Felizmente chegou novo inquilino à Casa Branca e o mundo ficou muito mais seguro.

Agora, com o cowboy dos botões, tudo vai funcionar às mil maravilhas.

Qualquer problema, basta carregar no botão, e PUMMM!

O mundo ou entra na linha ou a Policia Mundial trata-lhe da saúde.

A ONU é irrelevante até porque sem ajuda, TRUMP já descobriu que o presidente Sírio andou a matar criancinhas com Gás SARIN.

Mesmo com a guerra praticamente ganha o maluco não se conteve e lá mandou uns aviões gasear mulheres e criancinhas inocentes.

TRUMP não tolera essas MERDAS, mais rápido que a própria sombra, foi júri, juiz e carrasco. Toma lá 59 bombinhas que eu hoje estou com vontade de fazer uns disparos.
Calculo que as provas serão tão esmagadoras como as que foram apresentadas a Durão Barroso aquando da cimeira das Lajes para invasão do Iraque! Eras as famosas Armas de destruição maciça.

Está bom de ver, as armas de destruição maciça não foram encontradas no Iraque, porque foram compradas pelo governo da Síria para matar a própria população!

Já está resolvido.

Agora é a Coreia do Norte! Depois logo se vê, depende da inspiração.

Alterações climáticas, não existem!

América primeiro e os outros que se lixem.

O planeta tem centenas de países, mas quem manda nisto é o TRUMP!

A ONU é necessária se todos concordarem com TRUMP e pagarem pela protecção dos Estados Unidos…


Alguém acha que isto, por este caminho, vai acabar bem?

quinta-feira, 30 de março de 2017

A Caixa é nossa!




Confesso que me chateia!

Chateia-me quando um representante da nação me mente descaradamente.

Eu sei, que neste país à beira mar plantado, um representante da nação mentir a quem o elegeu é coisa corriqueira.

A Caixa é nossa! Dizem eles!

É nossa?

Eu tenho uma casa no Algarve, vai para 12 anos! Eu sei que a casa no Algarve é minha!
Como é que eu sei isso?

É simples, nos últimos 12 anos, não paguei rendas! Nem uma, nem duas, NADA!

Paguei IMI, Água, luz e esgotos, mas rendas ZERO!

Sim, a casa é minha! E só minha!

Depois temos a Caixa Geral de Depósitos, que dizem que é nossa…

Então é nossa e agora todos os anos pagamos 55 milhões de Euros?

55 Milhões de Euros para todo o sempre????

É até à ETERNIDADE??? Divida PERPÉTUA não poderá ter outro significado!
Que negócios de MERDA, são estes???

E depois tem o descaramento de me dizer na cara que a Caixa é minha?

Então é minha, dos meus filhos, de todos os Portugueses e no final do ano toma lá 55 milhões de Euros?

Divida PERPÉTUA? Com juros de 10.75% ao ano?

Está tudo doido?

E Portugal aceita isto, sem fazer contas! Eu fico pasmado!

No outro dia, falava com a minha amiga Paula, sobre a diferença entre um bom e um mau negócio, ela quer investir numa casa.

Dizia eu que em qualquer bom negócio o investimento é recuperado em 10 anos e em qualquer mau negócio o investimento é recuperado em 20 anos.

A caixa pediu 500 milhões de Euros a investidores, que mal dá para tapar a trampa que foi Vale do Lobo.

Então só para tapar os empréstimos ruinosos de Vale do Lobo, Portugal vai pagar para SEMPRE 55 milhões de Euros?

Em 2026 o empréstimo está pago, depois são juros de 55 milhões até à ETERNIDADE!?!?
Isto parece um truque de magia, com uma mão acenam com reposição de salários; reformas; 35 horas de trabalho para os Lord’s e a cereja que é o descongelamento de carreiras e com a outra aumentam impostos sobre tudo o que mexe, escondem contas por pagar e encavam todos com 55 milhões anuais!

E depois com sorriso rasgado, batem no peito e afirmam que a caixa é nossa…

E eu chego ás mesmas conclusões de sempre, com representantes deste calibre, estamos conversados.

Desculpem lá, meus amigos, mas engolir e ficar calado não está no meu ADN.

Era só isto, a Caixa é nossa! Siga a festa.


Um grande bem-haja para todos. 

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Cada um tem o futebol que merece e os políticos também!



Existem muitas semelhanças entre a nossa maneira de estar no futebol e na politica.

O povo é o mesmo, esta nossa Portugalidade, que nos distingue e torna únicos.

No país das manigâncias, aldrabando aqui, trocando acolá, fabricamos números, enviesamos as regras, num vale tudo que nos acorrenta à insignificância.

Ficamos pequeninos.

Ao cantar nossas glórias somos considerados a anedota Europeia, já ninguém liga, não existe paciência para aturar a formiguinha, de peito cheio gritando, sou a maior da Europa, do mundo e arredores!

Na vertente económica atingimos objectivos nunca antes alcançados, défice de 2.3% do PIB!
Isto não é para todos!

Antes disso, foi Sócrates em 2008 que com um défice de 2.6% do PIB afirmou que estava para nascer um 1º ministro, que consiga melhor resultado.

Afinal já tinha nascido, atende por António.

O PSD anda doido, sem explicação para tamanha façanha, não existe por onde pegar!

Todos os estratagemas utilizados pelo PS, foram igualmente utilizados pelo PSD.
E depois vale tudo!

 - Esconder contas por pagar a Hospitais; industria farmacêutica e afins.

 - Aumento de impostos sobre tudo o que mexe.

 - Cativações de 10% que põe em risco Escolas; Hospitais; Tribunais; Estabelecimentos Prisionais e outros.

 - Receitas Extraordinárias, etc, etc, etc.

Na Europa olham para a nossa dívida e para os nossos números e a risota é geral.

2.3% do PIB? E conseguiram isso tudo reduzindo o horário de trabalho dos funcionários públicos de 40h para 35h não foi?

Pois, está bem…

Claro que sim!

Devolveram salários e reformas anteriormente cortados, mais despesa…

Reduziram o horário de trabalho, mais despesa…

Aumentamos o salário mínimo e as pensões mínimas, mais despesa…

E o resultado é o menor défice da democracia em Portugal!

Acreditamos todos que sim.

Isto já só dá para dizer, rebolando no chão e apertando a barriga, que dói de tanto rir.

A maneira de ser e estar é sempre a mesma, não se governa a pensar no bem comum, não existe estratégia, navegando à vista, servindo clientelas, distribuindo favores, a corrupção, a cunha, são correntes que pesam, que vergam Portugal.

E o futebol? Perguntas tu, que lês atentamente o post.




Lá está…

Caro compatriota, no final de 2016 devemos mais de 241 mil milhões de euros.

Pagamos anualmente 8 mil milhões em juros.

Temos impostos em máximos e uma economia estagnada.

E tu estás é preocupado com o futebol…

Cada um tem o futebol que merece, lá está, e os políticos também…

O circo, continua, os palhaços somos nós!








terça-feira, 3 de janeiro de 2017

O ano de 2016 e o défice milagroso de 2.4% do PIB.



Não sendo irónico, quanto menor for o défice, melhor estarão as contas públicas de Portugal, são factos!

Um défice de 2.4% do PIB fica como o menor défice dos últimos 39 anos!
É bom! Mas estamos a falar de Portugal…

A última vez que atingimos proeza semelhante registamos um défice de 2.6% do PIB.
Estávamos em 2008, no primeiro governo de José Sócrates, tendo Cavaco Silva como Presidente da República.

“Está para nascer o 1º ministro que registe um menor défice que este governo!” com uma única cajadada, matamos 2 coelhos!

Calamos a oposição, informando que ninguém fez melhor e aproveitamos para picar o presidente.

Como Cavaco foi durante 10 anos 1º ministro, mostramos ao presidente que fazemos melhor, que a sua melhor governação!

Tudo perfeito!

O que falhou entretanto?

Descobrimos que para atingir os 2.6% de défice, Sócrates recorreu a medidas extraordinárias.
Entre outras, a que achei mais engraçada foi aprovarmos a construção de meia dúzia de barragens, recebendo à cabeça, centenas de milhões de €uros!

A verdade é que o défice em 2008 foi de 3.7% (aqui)

O que não entendemos na altura, foi que quanto mais recebemos em 2008 de prémio, mais teremos de pagar nos 50 anos seguintes.

Quanto maior o prémio recebido, maior o encargo assumido, acaba por ser simples.

Brilhamos em 2008 assumindo encargos até 2058.

Brevemente ficará claro quanto temos de pagar, pelo orgulho de em 2016 apresentar um défice a rondar os 2,4%.

Para lá das manigâncias, trocando aqui, escondendo ali, quem estamos realmente a enganar?

A Europa?

O Mundo?


Ou apenas Portugal e os Portugueses?


terça-feira, 13 de dezembro de 2016

O Natal e as contas de 2017




Com a aproximação de um novo ano, Portugal Bipolar entendeu por bem fazer contas.

Dizem sempre que os Portugueses não fazem contas, rumei por caminho diferente.

Vamos lá perspectivar o belo ano de 2017.

 - 8 mil milhões de €uros para pagar de juros.
 - 6 mil milhões para comprar petróleo.
 - 5 mil milhões para a CGD.
 - 4 mil milhões de perdas no BES
 - 2 mil milhões em SWAPS
 - 1.8 mil milhões em PPP’s.

Só assim, na brincadeira, são quase 27 mil milhões de Euros.

As empresas públicas devem +32 mil milhões de Euros e o estado encaixou mais 120.000 funcionários públicos, acabando com a precariedade.

Acabaram as sobretaxas e o estado ruma para as 35h/semana de trabalho.

Juros perto de 4% e crescimento a rondar 1%.

O melhor é esquecer tudo isto! Vou pegar no Cartão de Crédito e comprar umas prendas de natal.

O que poderá correr mal?

Com a capacidade negocial de António Costa é em 2017 que Portugal vai espantar meio mundo com a pujança da sua economia!


Vai uma aposta?

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Foco na Gigafactory de baterias! Portugal O Senhor dos Anéis – Cap 62.


O primeiro passo para uma fábrica de baterias é ter Lítio, para utilizar como matéria-prima.

Já o disse anteriormente, mas nunca é demais repetir, o Lítio tem que ser tratado como reserva estratégica nacional, tendo os nossos governantes de impedir a venda do mineral para transformação noutro país.

As Novas reservas descobertas na zona de Viana do Castelo, as reservas já existentes na Guarda ou em qualquer outro lugar, não podem ser vendidas!

Querem produzir, tem de o fazer em Portugal!

Temos matéria prima, falta a sua transformação em Lítio, sendo o segundo passo a construção de uma fundição na Guarda, transformando a matéria prima em Lítio.

Só depois vem a fábrica de baterias, que fica junto à fundição, que fica junto às minas.

Se a fábrica de baterias estiver separada da fábrica de carros eléctricos aumenta a sua versatilidade.

Caro amigo, na visão Portuguesa “da coisa”, a fábrica de baterias não deve estar integrada na fábrica de automóveis.

Temos de explicar isso a Elon Musk, para Portugal é conveniente existir separação de fábricas, não discutindo que a montagem do molde de baterias fique dentro da fábrica de carros, tudo o resto é independente, pode ser?

Mais cedo ou mais tarde a versatilidade de opções disponíveis para uma fábrica de baterias ditarão a sua lei. A separação de ambas acaba por ser uma consequência inevitável.

Uma fábrica de baterias pode produzir anualmente 500.000 baterias de 100 KWh para equipar os carros TESLA (50 GWh).



Mas pode igualmente produzir 1 milhão de Powerwall’s com 15 KWh (15GWh), possibilitando armazenamento de energia suficiente para uma habitação.

Pode produzir baterias para armazenamento em Larga Escala, 10 x 100 MWh; 10 x 500 MWh  2 x 2GWh e 1 x 5 GWh, totalizando 15 GWh.


Chegando a este patamar de produção a fábrica de baterias torna-se incompatível com a fábricas de automóveis eléctricos.

Até porque a fábrica de baterias e a fundição para transformação dos calhaus em Lítio devem ficar na Guarda, junto às minas da Felmica, poupando no mínimo 10% em custos de transporte e a fábrica de carros eléctricos deve ser situada a sul, aproveito para sugerir Évora, com ligação ferroviária a Sines.



Impedindo a saída de minerais do país, apostando numa fundição para transformar o Lítio, a GIGAfábrica de baterias será sempre em território nacional, se é da TESLA ou não, depende da capacidade dos nossos governantes.

Para já nos compromissos para 2017 não temos dinheiro para isto, depois de engolir um prato composto por 8 mil milhões de Euros em Juros da dívida pública; 5 mil milhões de euros para a CGD temperado com 1.75 mil milhões em PPP’s, não sobra nada.

Eles comem tudo, eles comem tudo…

Lítio em Portugal, sim ou não?


A escolha é nossa!


terça-feira, 22 de novembro de 2016

5 semanas de discussão sobre a Caixa Geral de Depósitos e os jornaleiros do costume.





Primeiro foram os ordenados milionários, foi assunto para uma semana.

Ficamos todos escandalizados com os 423 mil euros anuais de ordenado, um absurdo para um país com ordenado mínimo de 557€ (Jan 2017).

O mesmo país que convive confortavelmente com ordenados de futebolistas de 3 milhões.

3 milhões para dar pontapés numa bola, tudo bem! Meio milhão para gerir o maior banco português é um absurdo.

Depois, como a noticia não ganhou tracção passamos para as declarações de rendimentos.

Já entregou? Não entregou? Vai entregar? Divagação para cá, divagação para lá todos os dias temos notícia.

Eu, preferia gastar o tempo a saber a razão pela qual o estado injectou 1.65 milhões de Euros na Caixa em 2012 e agora vai novamente abrir os cordões à bolsa e vomitar mais 5 milhões de Euros.

Sim, eu sei que são imparidades.

Sei igualmente que houve especulação com o BCP, com dinheiro da caixa.

Milhões para comprar acções! Quem aprovou empréstimos com fracas garantias a Joe Berardo superiores a 300 milhões?

Quem aprovou o financiamento megalómano da Artlant?

300 milhões para Vale do Lobo?

271 milhões para a Auto-Estradas Douro Litoral?

Estes empréstimos obrigatoriamente tem o crivo de todo o conselho de administração!

237 milhões para o grupo espirito santo? Quem aprovou isto?

Os espirito Santo tinham 1 banco! Mas como não podiam emprestar a eles próprios, a Caixa facilitou 237 milhões pro bono. Quem aprovou isto?

E os 225 milhões para o grupo Lena?

O nosso amigo António Mosquito, consegue 338 milhões?



E agora temos mais um grupo de administradores com reformas douradas? E toma lá a conta de 7 mil milhões de Euros?

Isto só em juros anuais são 220 milhões! Visto que é valor para engrossar a divida! Que tenho de pagar juros!

E passamos 5 semanas a falar de ordenados e entrega de declarações?

Não será tempo de acordar e exigir explicações?

Continua a existir paciência para o jornalismo vigente?



5 semanas de discussão frívola não chega?




sábado, 19 de novembro de 2016

A Inês tem um chapéu!



Ser pai, não é tarefa fácil…

Estávamos num final de dia, igual a tantos outros.

Chegada a altura de ir buscar a Inês à cresce, o papá tinha uma decisão a tomar, todas as decisões acarretam as respectivas consequências e esta não era excepção.

Deveria ir a pé, ou de carro? Ponderação para cá, ponderação para lá, olhando para a bifurcação, a decisão estava tomada!

Vou a pé!

A escola fica a ± 800m de casa e retirar o carro, bem estacionado, no centro de Lisboa, às 6.00H da tarde não é tarefa fácil.

Até porque, passados 10 minutos, essa decisão traz consigo novos problemas, encontrar novo lugar para estacionar o automóvel.

Depois de grande ponderação, foi tomada a decisão.

Vou a pé!

Não chovia, nem fazia sol, o tempo estava indefinido.

No caminho para a cresce, olhando para as nuvens, sentia-me confortável com a decisão tomada.

Hoje, não vai chover!

Menos um problema.

Cheguei à escola, cumprimentei os meninos e educadoras, recolhendo o meu tesouro.
Despir a bata, vestir o casaco e já está!

Vamos para casa.

 - Pai, pai, posso levar o chapéu?

 - Para quê? Não está a chover…

  - Não faz mal, pai, amanhã trago outra vez.

Ao sair da cresce, reparo que o tempo sofreu uma ligeira modificação.
Passaram a cair umas pingas…

Reparei, nos breves segundos que passaram, que a chuva veio para ficar.
Decisões, decisões…

 - Inês, abre o chapéu e vamos embora!

Caminhamos alegremente, durante 70m a 80m, até encontrar refugio no prédio mais próximo.
Numa questão de minutos, o que era uma chuva miudinha, passou a descarga de água.

Como dizia a minha mãe ou avó, “chovia que DEUS a dava!”.

Mais um problema.

Uma pausa, antes de nova tomada de decisão, nunca foi para mim um problema, desta vez, a desculpa foi um cigarro.

Fumo um cigarrinho, e a chuva vai acalmar certamente.

Fumando para cá, fumando para lá, a constatação era óbvia…

 - Estou encavado, isto não vai parar, cada vez chove mais!

Soluções?

 - Bem, tenho um chapéu para criança e duas pessoas para transportar, kispos? Não há…
Esperar não é opção…

Enquanto fumava, aproveitei para dar uma volta na máquina do tempo, coisa a que recorro hebdomadariamente, quando tenho um problema, olhar para o passado, para aprender com erros cometidos.

São maneiras de ser, ou de estar, cada um tem as suas.

Aterrei em 1976, no caminho que fazia para a escola primária, a maior alegria que existia para um miúdo de 6 anos era experimentar as galochas novas!

Sim, na altura estava na moda, as galochas de borracha, que permitiam aos meninos passar pelas poças e manter os pés secos.

Todos os meninos que tiveram essa experiência sabem que o divertido é passar com as galochas pelas poças, chapinhando o mais possível!

Não existe melhor maneira de saber se o calçado é, ou não, à prova de água.

Voltando a 2016, entendi que a solução passava por transformar o problema, numa simples brincadeira de crianças.

Percorrer 800m a brincar na chuva era a única solução, telemóvel, para variar, não estava comigo, sendo impossível pedir ajuda…

Como ferramentas de apoio tinha um chapéu com 40cm de diâmetro…

A solução foi por a Inês às cavalitas do pai e o chapéu, que cobria a Inês, teria de tapar o papá o melhor possível.

Com o início da caminhada reparei que o barulho da chuva intensa estava a encolher a menina, não estava a ser uma viagem agradável.


  - Inês, vamos cantar uma musica?
 - Qual papá?

 - Sei lá, uma nova, tipo isto:

   A Inês tem um chapéu,
  Um chapéu muito lindo,
  Que tapa a Inês,
  E tapa o papá…

No percurso até casa, o sorriso da menina, depois de acabar o verso, abafava por completo o barulho da chuva.

Qualquer canção, cantada em sintonia é para os meninos um prazer.

Pena é, que não chova mais vezes, à saída da escola, para que a brincadeira se repita!

Palavra de Inês!


PS – Post dedicado aos novos papás e mamãs de Fevereiro de 2017!



sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Ordenados da administração da CGD e a espuma dos dias.

Anda Portugal indignado com os vencimentos estapafúrdios da nova administração da CGD.

Compreendo perfeitamente! Onde é que já se viu? O Administrador da Caixa vai ganhar 423.000€ de salário por ano.

Noticia para cá, noticia para lá, andamos nisto vai para 3 semanas.

Todos os dias temos notícia, pode ser se declaram, ou não, o património, pode ser o numero de administradores, o seu vencimento, é esta a discussão.

Ganha mais que o presidente entre outro tipo de considerações igualmente engraçadas, comparar este ordenado com o salário mínimo, entre outras pérolas.

Estamos certamente num país de faz de conta e de demagogia.

Estamos a falar de um ordenado de 30.000€ x 14 meses, só isso… Para gerir o maior banco de Portugal.

Depois de lhe aplicarmos o IRS 45% + 3% de sobretaxa e 11% de descontos para a Segurança Social, fica pouco mais de 12.000€ para levar para casa.

É este o escândalo nacional! Isto acontece no mesmo país, onde jogadores de futebol ganham 1.2 milhões de Euros limpos por ano, para darem pontapés numa bola.

Isto já é normal! Até porque negociar ordenados limpos com os jogadores é a ultima oportunidade que resta aos clubes para tentar reter os seus melhores.

Casos de Adrien Silva e Rui Patrício no SPORTING, que é dos 3 grandes o que menos paga…

Se falarmos de Benfica e Porto, os ordenados limpos dos melhores jogadores chegam a 3 milhões LIMPINHOS. Mas isso é tudo normal.

O que não é normal é este ou aquele administrador levar para casa 172.000€ por ano + prémios!

Um futebolista ganhar 1.2 a 3 milhões limpos por ano, não escandaliza ninguém.



A Tugolândia no seu melhor!

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Síria e os Russos que comem criancinhas ao pequeno almoço.


A Síria, continua mergulhada no caos.

Segundo a versão dos E. Unidos a Síria é governada por um ditador (Bashar al-Assad).

Não sendo nenhuma mentira, o problema da Síria, não é o seu presidente.

O problema da Síria é o seu presidente não defender os interesses Americanos e Europeus, principalmente Britânicos.

Aconteceu na Líbia, Kadafi foi um bom presidente até defender que o petróleo devia ser vendido em €uros e não em USDollars…

Depois desta ideia insana ser apresentada o seu destino ficou traçado.

Rapidamente a CIA, tratou de eliminar a ameaça, passaram 5 anos e a Líbia está de rastos, sem lei nem ordem.

Depois temos o Iraque, onde Sadam concordou com a ideia de deixar de vender petróleo em USDollars.

Ora, os Americanos já tinham promovido a paz no Iraque no inicio da década de 90, com os resultados que se conhecem.

Voltaram em 2003, os malandros dos Iraquianos tinham armas de destruição maciça, as provas foram apresentadas nos Açores, por Tony Brair e Buch e Companhia.

Claro que com as provas irrefutáveis apresentadas, Durão Barroso (1º ministro de Portugal) ficou completamente convencido e 2 dias depois a guerra começa.

Armas de destruição maciças nem velas, mas como prémio toma lá a presidência da U. Europeia! Quem é amigo, quem é?

Depois temos os Russos, aquela base naval na Síria é para manter!

Só não vê, quem não quer! A base naval fica! Fica a bem ou fica a mal, mas fica!

Depois de todos os atropelos e empurrões do Ocidente desde 1991, a Rússia não perderá esta oportunidade para ampliar a sua influencia e discutir com Americanos e Ingleses.

Tentaram encurralar o Urso, cerca-lo, dividi-lo, amputando membros (Republicas), no fundo tentaram domestica-lo.

Deu MERDA! Agora é respeitar, o bom-senso aconselha a não enfrentar um animal em fúria.

A Síria, não será uma nova Líbia!

A Síria não será um novo Iraque!

A Síria será, a Síria “avermelhada” com apoio Iraniano, Russo e Chinês.


Quanto mais rapidamente Americanos e Europeus entenderem isso melhor! Para todos… 

Os Russos não são Santos, longe disso, mas também não comem criancinhas ao pequeno-almoço...





quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Portugal Bipolar: O.E. 2017, ou não é! (parte II) – Temos todos de perder, para depois ganhar…

http://oportugalbipolar.blogspot.pt/2011/10/orcamento-de-estado-2012-o-e-ou-nao-e.html

O.E. 2017, ou não é! (parte II) – Temos todos de perder, para depois ganhar…







Com uma dívida pública acumulada, que em 2017 chegará aos 250 MM€, isto já só dá para rir.

Para o PSD a única solução era, e é, cortar em salários e pensões, mantendo tudo o resto.

O resultado foram lutas intermináveis, venda dos principais activos nacionais e em 4 anos passar de uma dívida publica insustentável a rondar os 190MM€ para uma divida publica sustentável de 240MM€.

Agora temos governo PS, com apoio das esquerdas, onde a solução é devolver salários e pensões e reduzir o horário de trabalho da função publica para 35 horas.

Como não descobrimos petróleo ou diamantes, adicionámos impostos a uma economia asfixiada.

Foi no Tabaco;
Foi nos combustíveis;
Foi no IMI;
Foi em taxas e taxinhas que aproveitaram as correntes ascendentes e apanharam boleia, aumentando significativamente.

Tudo serve para alimentar a máquina.

E não passamos disto!

Os anos vão passando, vamos aumentando a dívida, vendendo o que existe e reivindicando alegremente.

Os aumentos têm que ser superiores à inflação, quando ninguém fala na produtividade.

Os reformados têm de ter o rendimento reposto, independentemente de no futuro, qualquer português com os mesmos descontos, ganhar menos de metade.

Os grupos de pressão têm de estar minimamente satisfeitos, para evitar perturbações (Transportes /Portos/Hospitais/Escolas).

Passivamente encolhemos os ombros, quando se fala da dívida, habituados a ouvir falar em milhões e mil milhões a maioria nem os distingue.

São milhões e pronto!

O importante é pensar no meu umbigo e reivindicar os meus direitos que a maré está favorável.

Pensando assim pequenino, nem nos apercebemos que nos últimos anos de luta perdemos em receita garantida:

·        A gestão Portuária.
·        A gestão dos Aeroportos
·        Produção de eletricidade
·        Transporte de Eletricidade
·        Telecomunicações
·        Banca


Resta a C.G.D. e o mar!

Considerando que a U.E. já informou Portugal que os peixes não têm morada fixa, chegou a hora de acordar?

Claro que não! Ainda é tempo de acreditar.

Vamos acreditar! Tudo vai correr pelo melhor, alguém vai resolver o problema.

Ainda não entendemos que o milagre das rosas proporcionado pelo PSD está directamente ligado a:

1.      Diminuição do barril de petróleo de 140USD para 50USD, Portugal gasta 277.400 BPD (Barris de Petróleo por Dia), em 365 dias são 101 Milhões de barris, representando uma poupança anual de 7 a 9MM€.

2.      Juros da divida baixaram, chegamos a ter juros superiores a 7%, estando actualmente perto de 3%, a 10 anos, poupança de 4 a 7MM€.

3.      Brutal aumento de impostos que permanece e asfixia a economia.

Vamos esperar, faltam apenas 930 dias para Portugal sair do €uro! Quem já esperou tanto, só falta mais um bocadinho…

Vamos olhar para os números?


Dívida – 250MM€ - 250.000.000.000€

Juros Anuais   – 7,5MM€ -      7.500.000.000€

Passaram 4 anos sobre isto (Parte I), que dizer?

 Tic! Tac! Tic! Tac! Tic! Tac! faltam 930 dias.